A BARBÁRIE DA MODERNIDADE. A FORMAÇÃO DOS ESTADOS NACIONAIS E UMA CRÍTICA AO DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO.

Nome: Paulo Henrique de Souza Manasfi
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 11/12/2015
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Celeste Ciccarone Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Celeste Ciccarone Orientador
Lívia de Cássia Godoi Moraes Examinador Externo
Luis Carlos Tosta dos Reis Examinador Interno

Resumo: O presente estudo propõe-se a realizar uma revisão crítica do conteúdo cultural e político-econômico do movimento cultural da Modernidade, buscando esclarecer suas origens e determinações, e contribuir desta forma com a construção teórica sempre a renovar-se da geográfica crítica. O caráter apologético das ideologias que configuram a Modernidade é um elemento constante que encaminha este estudo crítico amparado no método materialista dialético histórico-geográfico desenvolvido a partir de Karl Marx e de sua fortuna crítica. Nesta pesquisa são enfocados: as implicações da renovação crítica do cânone cientifico estabelecido; o processo de mistificação e ideologização necessário para o estabelecimento do Estado Nacional Moderno; o caráter quantitativista e acrítico do desenvolvimento, que mistifica a técnica e que valoriza mais a tecnologia do que a alimentação; e os conflitos territoriais subjacentes à estes processo único global. O conteúdo que aparece fragmentado no fazer-se dos capítulos que constituem o núcleo desta crítica radical intenta alcançar uma totalidade como meio e fim, e deste modo favorecer a construção de uma humanidade pós-capitalista como utopia necessária.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910