EXPANSÃO URBANA E MEIO AMBIENTE:
Uma análise do Corredor Ecológico Duas Bocas-Mestre Álvaro - ES

Nome: Thaís Batista Lovate
Tipo: Dissertação de mestrado acadêmico
Data de publicação: 28/02/2019
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Andre Luiz Nascentes Coelho Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Andre Luiz Nascentes Coelho Orientador
Cláudia Câmara do Vale Examinador Interno
Eneida Maria Souza Mendonça Examinador Interno
Gilton Luís Ferreira Examinador Externo

Resumo: A preocupação com a fragmentação florestal no Espírito Santo fez com que seu território fosse inserido no Projeto Corredores Ecológicos, no ano de 2003, visando conservar e conectar remanescentes de Mata Atlântica. Dentre os 12 corredores traçados, o Duas Bocas-Mestre Álvaro foi escolhido para ser objeto de estudo deste trabalho, por estar localizado, majoritariamente, na Região Metropolitana da Grande Vitória, que se caracteriza por contemplar a maior parcela da população capixaba e apresentar um processo de expansão urbana sobre Áreas de Interesse Ambiental. Portanto, os objetivos principais da pesquisa são analisar espaço-temporalmente a urbanização da Região Metropolitana da Grande Vitória entre 1970, 1990, 2007 e 2012, sua expansão, a partir de 1990, sobre a área que hoje constitui-se no Corredor Ecológico Duas Bocas-Mestre Álvaro (CEDBMA), os impactos negativos decorrentes desta, bem como a real efetividade das legislações referentes à conservação do Corredor. Para alcançar tais objetivos foram realizadas diferentes etapas metodológicas, como o levantamento de dados, o processamento em ambiente SIG, visitas ao campo de estudo e entrevistas. Os resultados da pesquisa apontam que entre 1990, 2007 e 2012, a urbanização avançou sobre o CEDBMA, principalmente, na forma de condomínios/loteamentos industriais e que, em bairros residenciais específicos, a expansão ocorreu sem a devida infraestrutura de saneamento básico. Constatou-se, ainda, degradações ambientais no âmbito deste Corredor, como a poluição hídrica e a morte de animais silvestres nas estradas. Por meio das análises, pôde-se concluir que as Unidades de Conservação, especialmente as mais próximas das áreas urbanas, e o Corredor, como um todo, merecem maior atenção das instituições competentes, principalmente quando se trata de projetos de infraestrutura, pois mesmo tendo um papel muito importante para a região, têm enfrentado diversos desafios para manter sua cobertura florestal, conectividade e qualidade ambiental em decorrência de processos de expansão urbana não-sustentáveis.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910