SISTEMA FLUVIAL DO RIO JACARAÍPE, SERRA, ESPÍRITO SANTO:
PROPOSTA DE ANÁLISE A PARTIR DO GEOSSISTEMA E DA
SOCIOGEOMORFOLOGIA

Nome: André Luís Demuner Ramos
Tipo: Tese de doutorado
Data de publicação: 11/10/2018
Orientador:

Nomeordem decrescente Papel
Andre Luiz Nascentes Coelho Orientador

Banca:

Nomeordem decrescente Papel
Andre Luiz Nascentes Coelho Orientador
Antonio Celso de Oliveira Goulart Examinador Externo
Eneida Maria Souza Mendonça Examinador Interno
Gilton Luís Ferreira Examinador Externo
Giovanilton André Carreta Ferreira Examinador Externo

Resumo: Sistema Fluvial do Rio Jacaraípe, paisagem que cobre área expressiva do
município da Serra, Espírito Santo, foi e continua sendo cenário de constantes
transformações. O processo de apropriação da natureza pelas ações e práticas
da sociedade se intensificou a partir da década de 1950, com a erradicação da
cultura agrícola do café e substituição por atividades urbanas e industriais,
marcada atualmente, por impactos e por alterações degradantes necessitando
de um entendimento mais aprofundado dessa realidade.
Diante deste contexto, esta pesquisa teve por objetivo desenvolver e aplicar o
conceito de Sistema Fluvial como recorte integrador das transformações da
sociedade e da natureza, considerando-se o Geossistema e a
Sociogeomorfologia, no processo de transformação da paisagem do Rio
Jacaraípe – Serra, Espírito Santo.
O estudo partiu da revisão bibliográfica debatendo a importância da Análise
Integrada da Paisagem na Geografia sustentado em literaturas estrangeira e
nacional sobre os conceitos de Sistema Fluvial, Geossistema e
Sociogeomorfologia. Posteriormente, a sua aplicação e discussão, resgatando
o entendimento histórico do processo de ocupação e dinâmica até o presente
utilizando-se dos procedimentos clássicos de investigação geográfica com o
uso de geotecnologias de SIG e Sensoriamento Remoto. Na sequência, de
forma complementar, o emprego da Sociogeomorfologia elencando recortes e
arranjos na paisagem inéditos e reveladores.
O uso dos métodos e técnicas desta pesquisa permitiu desenvolver uma
metodologia satisfatória para diagnóstico e análises mais aprofundadas,
possível de ser aplicada em outros sistemas fluviais e que podem ser utilizados
por diversos setores da sociedade. Os resultados possibilitam identificar e
espacializar, de forma mais precisa, as áreas mais criticas do sistema
analisado, apontando diversos danos ambientais nos canais fluviais como a
cobertura do rio/canal; construção de via urbana sobre rio e canal; perda de
canais em número e extensão. As tipologias de transformação criadas
revelaram conflitos de usos, evidenciada em fotos e cartografia, como parte
das Zonas de Expansão Urbana e das Zonas Especiais de Interesse Social,
situadas em áreas de proteção ambiental e frágeis como vertentes e fundos de
vale e no interior de um corredor ecológico, entre outros danos, alertando para
a necessidade de um ordenamento mais equilibrado e sustentável entre os
elementos naturais e as ações antrópicas.

Acesso ao documento

Acesso à informação
Transparência Pública

© 2013 Universidade Federal do Espírito Santo. Todos os direitos reservados.
Av. Fernando Ferrari, 514 - Goiabeiras, Vitória - ES | CEP 29075-910